Tira-Teima Mariano

A Consagração Total a Virgem Maria é aprovada pela Igreja

Padre Francisco Amaral*

Publicação original: 19/02/2018

Esta série de artigos tem como meta desfazer uma série de idéias distorcidas a respeito da Santíssima Virgem Maria e da Consagração Total a Ela, a partir do método que São Luis Maria Montfort ensina no maravilhoso “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima” (TVD).

Pela graça de Deus, esta Consagração tem se tornado, em nosso tempo, cada vez mais conhecida e praticada! Mas infelizmente, muitos não compreendem bem a Consagração, e acabam pensando, vivendo ou falando que a Consagração é aquilo que ela não é.

Alguns afirmam que tal Consagração não é aprovada pela Igreja…o que pensar?

A Consagração é aprovada pela experiência e pela autoridade da Igreja.

Foi devida a esta Consagração que São João Paulo II assumiu o lema de pontificado “Totus Tuus” (“Todo Teu, “Todo de Maria”!), tendo o “Tratado” como seu livro de cabeceira.

Tendo sido apresentada no “Tratado” por um Santo Canonizado – São Luis Maria Montfort -, vivida e recomendada por muitos santos, e também incentivada expressamente pelos Papas Pio XI, Pio X, Bento XV e sobretudo por São João Paulo II.

Assim afirmou João Paulo II, a respeito do “Tratado”:

“Num primeiro tempo tinha-me parecido que deveria afastar-me um pouco da devoção mariana da infância, a favor do cristocentrismo. Graças a S. Luis Grignion de Montfort compreendi que a verdadeira devoção à Mãe de Deus é, pelo contrário, cristocêntrica.” (“Cruzando o limiar da esperança”).

“A leitura deste livro marcou em minha vida uma transformação decisiva… A consciência foi que a devoção de minha infância e mesmo de minha juventude para com a Mãe de Cristo ganhou uma nova dimensão… Enquanto antes me mostrava reservado, com medo de que a devoção a Maria pudesse deixar Cristo na sombra, em vez de lhe dar prioridade, entendi agora, à luz do Tratado de Grignion de Montfort, que a realidade é totalmente diferente.
A devoção a Maria, que tomou assim uma forma determinada, continuou viva em mim. Tornou-se uma parte integrante da minha vida interior e de meu conhecimento espiritual de Deus.”
(“Não tenham medo”, André Frossard, entrevista com o Papa João Paulo II, ed.Círculo do Livro, pág. 143-145).

*Padre Francisco Amaral é sacerdote da Arquidiocese de Cuiabá. Publica homilias no seu canal do youtube:

https://www.youtube.com/channel/UCy-rvaDFNamZF9qGjTFWiHw